Na Terra, a vida começou no oceano, e antes que ela também acabe por lá, pescadores ilegais, caçadores de baleias e outros perpetradores marinhos terão de enfrentar o ativismo incessante da Sea Shepherd.

Enquanto a vida segue normal para muitos de nós, uma guerra que envolve todos os países do mundo está sendo travada, e poucos a reconhecem ou entendem os riscos que ela oferece. De um lado, pessoas, empresas e governos correm atrás de lucro a qualquer custo. Do outro, um delicado sistema que mantém a vida como conhecemos possível no nosso planeta. E, enquanto a ganância avança a passos largos tentando sufocar o oceano, os defensores da vida podem contar com um reforço profundamente comprometido com a conservação marinha.

A Sea Shepherd é uma organização de conservação marinha fundada em 1977 pelo Capitão Paul Watson, um dos membros originais do Greenpeace que deixou o grupo por discordar da abordagem mais política e menos ativa que adotaram. No início, a Sea Shepherd era considerada uma organização pirata por utilizar táticas de ação direta em alto mar com seu primeiro navio ativista, abalroando baleeiros ilegais e se posicionando na frente de caçadores de focas para impedir que continuassem sua cruel matança.

Como uma ameaça à destruição contínua do oceano, a organização conseguiu salvar milhões de vidas sem nunca ter ferido nenhum de seus oponentes, aperfeiçoando uma abordagem agressiva não violenta que tornou sua bandeira conhecida no mundo todo. Há mais de 40 anos, trabalha para que um dia não seja necessário mais existir, pois o objetivo final é acabar com a exploração destrutiva do ambiente marinho, permitindo sua regeneração.

Com o tempo, a Sea Shepherd foi colecionando vitórias em suas campanhas, e enquanto era temida pelos exploradores dos ecossistemas oceânicos, também era celebrada pelos protetores da vida marinha. Assim, passou a operar a maior marinha privada do mundo e todas as embarcações funcionam dentro de uma política vegana, pois a ciência mostra que deixar de consumir produtos de origem animal é a melhor ação individual para diminuir o impacto no meio ambiente, freando as alterações climáticas, o desperdício de água, a utilização de terras em larga escala, a extinção de espécies e tantos outros problemas que são causados pelo desinformado consumo humano.

Hoje, a Sea Shepherd possui entidades locais em dezenas de países com milhares de voluntários e se tornou um movimento global pela conservação do oceano, formando parcerias com órgãos governamentais para unir poderes a favor do meio ambiente (do jeito que o Capitão Planeta ensinou). Enquanto os ativistas oferecem embarcações, tripulações e expertise na área da conservação marinha, governos entram com a autoridade para abordar e prender pescadores agindo de forma ilegal ou irregular.

Desde 2012, faço parte dessa organização, tendo participado em diversas operações pelo mundo, e, hoje, escrevo de dentro de um dos navios dessa Marinha de Netuno que está em alto mar e se prepara para mais uma campanha. O destino ainda é um segredo para evitar que nossa presença seja antecipada pelos que queremos pegar em flagrante, e mesmo sem saber para onde vou, tenho a certeza que aqui é lugar certo para estar agora.

Compartilhado:

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.